Sexta-feira, 19 de Novembro de 2004
Sentir em mim
...Trago comigo um sentir...
Intransponível, difícil de definir

...[Tantos outros a aferir]...
Impossível é angustiante admitir

...Tecido nas teias a bramir...
Imprescindível impede o sorrir

...[Tantos procuram ouvir]...
Inaudível se o silêncio permitir

...Transporta o desejo de fruir...
Irascível não querendo reprimir

...[Tantos nos anos a avir]...
Imperdível na[s] vida[s] a existir
publicado por ridufa às 05:05
link do post | comentar | favorito
|
24 comentários:
De ridufa a 4 de Dezembro de 2004 às 09:44
Miguel: A questão é quantos existem em cada um de nós. Não seremos nós um conjunto de vários sentires que se cruzam, que lutam entre si... sendo o seu resultado a nossa personalidade? ;) Gostei que sentisses... Bjs
De Miguel a 3 de Dezembro de 2004 às 21:15
O “sentir em mim” multiplica-se em dois: a) os 6 versos entre reticências (…) que dão corpo à segunda vertente, vertente essa a que classifico de B (b) que lhes faz o remate, não apenas em cada verso mas também no final, grande final onde escreves e cito: “imperdível na(s) vida(s) a existir”. Basicamente é um duplo sentido ao nível da escrita que transmite imensos significados. Enfim é a tua poesia, és tu (vezes 2)… Finalmente e como prometido, senti., senti.. e manifestei-me.
De ridufa a 22 de Novembro de 2004 às 14:39
anacanela: São peças que juntamos ao longo da vida, ganhando asas com os sonhos que temos ;) Bjs
De anacanela a 22 de Novembro de 2004 às 11:48
:) somos um pouco essa mistela sim!
mas nunca nos devemos sentir vítimas de nós! porque tudo o que temos ou somos às vezes pode não parecer fazer sentido mas faz! São peças de um puzzle e sabes em que resulta??!! Juntas a pecas e tens umas asas!! Acredita! E sorri!
De ridufa a 21 de Novembro de 2004 às 14:06
charlotte: Obrigada :) Porque nem sempre se consegue manter o sorriso nos lábios percebo o que queres dizer :) Bjs
De charlotte a 21 de Novembro de 2004 às 13:29
...Tecido nas teias a bramir...Imprescindível impede o sorrir. Ultima e infelizmente é o que me tem acontecido; pouca vontade de sorrir. Adorei o poema. Mts mts bjs.
De ridufa a 20 de Novembro de 2004 às 01:22
lique: Trago sentires que sinto necessidade de partilhar... mesmo que não os consiga transmitir na sua plenitude ;) Bjs
De ridufa a 20 de Novembro de 2004 às 01:21
Carriço: Não exageras se é isso que sentes... sentindo os sentires que há para sentir ;) Bjs
De lique a 19 de Novembro de 2004 às 22:41
Trazes contigo um sentir que nos transmites em cada dia. Por isso aqui vimos. Beijinhos
De Carrio a 19 de Novembro de 2004 às 20:56
Não querendo apenas agradar, já me sinto quase obrigado a sentir os seus «sentires»! [sinto, sentir, «sentires»... exagerei!!] :)
Saudações

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31
.posts recentes

. Mundo (In)visível

. Improvisos do momento

. Achas que ninguém sente.....

. Achas que ninguém vê...

. Falha de comunicação

. Até um dia

. A cor do dia em que parti

. Alma nos montes

. Quando os olhos fecho

. Memórias

.arquivos

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO
.subscrever feeds