Quarta-feira, 25 de Janeiro de 2006
Livros de Poetas
(Re)vejo livros de poetas
De doces vozes profetas
De mentes sempre inquietas
De conspirações repletas

(In)vejo deuses deslumbrantes
Esses escritos de errantes
Livres agora como dantes
Prostrados em versos amantes

(Pre)vejo já o meu Fado
Que cego foi enganado
A pretensão a meu lado
De os ter assim guardado

[...Nem sempre se é poeta por querer...]
publicado por ridufa às 07:42
link do post | comentar | favorito
|
12 comentários:
De ridufa a 15 de Fevereiro de 2006 às 13:25
AlmaAzul: Obrigada pelo comentário ;) bjs
De AlmaAzul a 12 de Fevereiro de 2006 às 16:31
Verdade poética. :) ***azuis
De ridufa a 8 de Fevereiro de 2006 às 17:13
Terduraes: Tem dias... não pode ser sempre DP :) ... E deuses pode ser com letra minúscula :p Bjs
De Terduraes a 6 de Fevereiro de 2006 às 10:37
Há muito tempo que não venho aqui por culpa minha, estive mergulhada no meu ego. Mas agora que aqui passo deparo com este poema que com uma palavra posso dizer o que penso dele: Gostei!

(na realidade, Deuses é a minha especialidade. Estás perdoada por teres escrito em letras minúsculas)

Ainda bem que não andaste só mergulhada no DP.

Teresa
De ridufa a 3 de Fevereiro de 2006 às 18:44
paulo povoa: Que pensamento tão elaborado... poesia é não pensar... é dizer as coisas como elas sentem... sem impor raciocínio... quanto muito o raciocínio entra na rima... :) Obrigada pelo comentário ;) Bjs
De paulo povoa a 3 de Fevereiro de 2006 às 09:08
Todos temos algo de poeta, pois cada sentimento, cada palavra, cada gesto, é tudo poesia.
Ser poeta não é apenas escrever poemas, ser poeta é mostrar o que se tem na alma sem ter receios, com a maior naturalidade que se conseguir.
E tu és uma poetisa, pois mostras a tua alma e o teu pensar aqui na escrita, e na vida com certeza que não tens receio de mostrar como és :)
De ridufa a 31 de Janeiro de 2006 às 16:22
docerebelde: Obrigada pelas tuas palavras... de poetisa, quem sabe? ;) bjs
De ridufa a 31 de Janeiro de 2006 às 16:21
PaperFlower: Obrigada... tão imparável que nem tenho tido tempo para escrever com a regularidade que gostaria :( bjs
De docerebelde a 29 de Janeiro de 2006 às 15:47
AS palavras que o poeta escreve são "gritos da sua alma" do seu sentir, por vezes tão "embelezadas" que há dificuldade em trduzi-las. Parabéns pela beleza deste poema. Feliz domingo
De PaperFlower a 27 de Janeiro de 2006 às 15:01
Vejo que continuas imparável e com um nível de qualidade crescente!**

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31
.posts recentes

. Mundo (In)visível

. Improvisos do momento

. Achas que ninguém sente.....

. Achas que ninguém vê...

. Falha de comunicação

. Até um dia

. A cor do dia em que parti

. Alma nos montes

. Quando os olhos fecho

. Memórias

.arquivos

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO
.subscrever feeds