Quarta-feira, 8 de Setembro de 2004
Lágrimas [d]e chuva
Já não sinto o gelo
Da chuva no rosto
Nem sequer o frio
Só ao vazio exposto
Assim, deixo chover
Fecho olhos às gotas
Não tenciono mover
Até se tornarem rio
Lágrimas [d]e chuva
Difundidas na face
Pela mente turva
Em belezas rotas

Já não sinto o gelo
Só o calor que emana
Que de tão fiel e triste
Quase parece humana
Em pingos alternados
Na suavidade do beijo
De sentires adunados
Nos corações em riste
...E no frio em brasa
No calor que renasce
Sonho através da asa
Novo desejo de adejo
publicado por ridufa às 13:51
link do post | comentar | favorito
|
30 comentários:
De ridufa a 9 de Setembro de 2004 às 13:29
Ruca: Gotas de chuva que adoramos e sentimos... gotas de chuva que nem sempre percebemos, mas que estão lá para serem amadas... ;) Bjs
De Ruca a 9 de Setembro de 2004 às 12:37
Olha... estou sem palavras... adorei.... bjos ****
De ridufa a 9 de Setembro de 2004 às 12:36
Estrela do mar: As lágrimas [d]e chuva estão sempre presentes alheias à estação do ano... são sentidas sempre com a mesma intensidade. Como tu dizes, as nuvens também choram ;) Bjs
De Estrela do mar a 9 de Setembro de 2004 às 12:28
Num dos meus posts escrevi que a nuvem me olhava e chorava. Estou de acordo contigo. E é mais no inverno que elas se manifestam e nós também...é uma das estações mais nostálgicas.
Um beijinho grande.
De ridufa a 9 de Setembro de 2004 às 11:46
†Profetiza†Morta†: A vida é mágica... assim como a chuva (e as lágrimas)... essenciais na sua simplicidade, desejadas na sua expressão... são imprescindíveis à vida ;) Obrigada pelo apoio. Bjs
De ProfetizaMorta a 9 de Setembro de 2004 às 11:40
Os teus poemas são sempre fascinantes... versos curtos mas que trazem em si uma magia imensa. Adorei este poema. Quase que sinto uma personificação das gotas de chuva e das lágrimas dos teus olhos. Está lindo. Bjs***
De ridufa a 9 de Setembro de 2004 às 11:22
Tiegas: A beleza dos versos está nos olhos de quem os lê. Obrigada pelo teu comentário ;) Bjs
De Tiegas a 9 de Setembro de 2004 às 11:16
Está muito bonito o texto
De ridufa a 9 de Setembro de 2004 às 10:51
Carlos Tavares: A minha definição de sonoridade - as palavras brincam entre si, criando sons que ecoam nos versos. Obrigada pelas tuas palavras ;) Bjs
De ridufa a 9 de Setembro de 2004 às 10:48
o5elemento: Sinto-me nas gotas de chuva, nas lágrimas que choro, nos versos que escrevo, nas coisas que vejo... sinto-te [a ti] desse lado a sentir ;) Bjs

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31
.posts recentes

. Mundo (In)visível

. Improvisos do momento

. Achas que ninguém sente.....

. Achas que ninguém vê...

. Falha de comunicação

. Até um dia

. A cor do dia em que parti

. Alma nos montes

. Quando os olhos fecho

. Memórias

.arquivos

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO
.subscrever feeds