Terça-feira, 17 de Agosto de 2004
À chuva
À chuva
Navego no sonho pelo real
Mergulho em odores de sabor
Inundo o pensar de sentir
Nado em ruínas de esperanças
Bebo das pressões de desejos
Verto lágrimas em sorrisos
Salpico os ódios de amores
Afogo tristezas no porvir
À chuva
Renovo a alma em pingos
Em crescimento gota a gota
Nos sonhos de ilusões e mar
Alio a liberdade de rios
À solidez [solidão] do gelo
Converto-me então em água
Deixo-me levar pela corrente
Vivendo uma vida de marés
À chuva
publicado por ridufa às 17:11
link do post | comentar | favorito
|
26 comentários:
De ridufa a 18 de Agosto de 2004 às 17:17
Carlos: A minha alma fica sempre mais limpa e livre quando chove. Que a calma que se encontra seja mais calma do que aquela que nos levou à chuva :) Bjs
De Carlos a 18 de Agosto de 2004 às 17:10
Pois é nesta chuva que encontramos coisas que nos renovam a alma e que nos fazem redescobrir uma outra calma, à chuva.
*
De ridufa a 18 de Agosto de 2004 às 16:49
Tenho pena que à chuva nos deixes... A chuva é geralmente sinal de renovação... e uma vez que dizes nos "próximos tempos", resta-me a esperança de um dia te voltar a ler :) Bjs e até sempre
De LetrasAoAcaso a 18 de Agosto de 2004 às 16:36
Uma despedida sem dramas.
O "letras" chegou ao fim do caminho.
Qd os meus companheiros de aventura nos outros dois espaços chegarem, farei o mesmo.
A blogosfera nos próximos tempos não será de certo para mim.
Pelas tuas palavras sempre amáveis, pela amizade, um beijo e um até sempre.
De ridufa a 18 de Agosto de 2004 às 12:22
angeleyes: São as coisas mais simples (a chuva inclusivé) que trazem as emoções... depois é só deixar que o tempo as desenvolva ;) Bjs
De angeleyes a 18 de Agosto de 2004 às 12:17
Realmente a chuva traz com ela muitas emoções...adorei este texto, simplesmente lindo :)
De ridufa a 18 de Agosto de 2004 às 11:28
par(a)lamentar: E não será a vida uma viagem pelos sentidos? ;) Bjs
De ridufa a 18 de Agosto de 2004 às 11:26
paulo povoa: Mais uma vez obrigada pelas tuas palavras. De facto associo a água às emoções e a corrente ao sentimento. Penso que nesse contexto, o teu comentário vem muito a propósito ;) Bjs
De par(a)lamentar a 18 de Agosto de 2004 às 11:23
É óbvio que se trata de uma viagem pelos sentidos.
Excelente.
Beijitos.
De paulo povoa a 18 de Agosto de 2004 às 11:21
e as marés da chuva, são como as marés dos sentimentos, altas e baixas.
mas a maré que eu tenho sempre que venho aqui é a maré alta, pois sempre vejo muitos sentimentos transmitidos de uma maneira metaforicamente bela.

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31
.posts recentes

. Mundo (In)visível

. Improvisos do momento

. Achas que ninguém sente.....

. Achas que ninguém vê...

. Falha de comunicação

. Até um dia

. A cor do dia em que parti

. Alma nos montes

. Quando os olhos fecho

. Memórias

.arquivos

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO
.subscrever feeds