Quarta-feira, 4 de Agosto de 2004
Enquanto a vida não chega
Abraço o tempo
Que escapa entre dedos
Brinca comigo com vagar
Aos poucos esqueço medos

Abraço o silêncio
De quem não fala nem sente
Um simples olhar vazio
Que o coração desmente

Abraço a noite
Mais um dia a prever
Tudo é tão efémero
Como instantes por viver

[Enquanto a vida não chega]

A vida é demasiado curta
Para se esperar por ela
publicado por ridufa às 14:39
link do post | comentar | favorito
|
38 comentários:
De ridufa a 7 de Agosto de 2004 às 12:16
sefaxavor: Concordo. A vida é demasiado curta para nos arrependermos de não a termos vivido... ;)
De sefaxavor a 7 de Agosto de 2004 às 12:05
Vim pela primeira vez ver o teu blog e gostei muito. Realmente é preciso aproveitar cada momento para evitar arrependimentos tardios. Beijos
De ridufa a 6 de Agosto de 2004 às 15:35
vittorio: A vida (e a morte) têm o sentido que lhe quiseres dar, como versos e dizeres que deixam sentidos por definir ;) Bjs
De vittorio a 6 de Agosto de 2004 às 15:22
Muito bem sentido e faz!
De ridufa a 6 de Agosto de 2004 às 03:08
souuma: Sim... também eu já abracei na distância e sei o quão duro pode ser... O que conta é o abraço, tudo o resto se esquece ;) Bjs
De souuma a 5 de Agosto de 2004 às 20:22
ridufa, não faço eu outra coisa... mas ainda bem que mesmo na distância dois corpos se podem abraçar ;)
De ridufa a 5 de Agosto de 2004 às 17:21
Miss Devil: Nem mais... ;) Bjs
De Miss Devil a 5 de Agosto de 2004 às 17:19
oi!
a vida e demasiado curta para ser desperdiçada é preciso aproveita-la.
jinhos
De ridufa a 5 de Agosto de 2004 às 14:24
paulo povoa: As palavras são imortais, mantêm-se para além de nós... A nossa vida é feita de "palavras", actos que fazemos, vidas que vivemos, que ficam para sempre... nem que seja na mente e no coração de quem convive connosco. Obrigada pelas tuas palavras ;) Bjs
De paulo povoa a 5 de Agosto de 2004 às 14:18
o tempo escapa entre os dedos mas a beleza da escrita sempre continua.
o silêncio que não se fala nem se sente, tem a sua presença no coração e na mente.
a noite deixa um dia prever, mais um dia que se passa para continuar a viver.
não se espera pela vida, simplesmente se vive, e viver com pessoas que colocam tão bela escrita, nos faz sentir que o tempo não escapa, que o silêncio não existe e que já encontrámos a vida

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31
.posts recentes

. Mundo (In)visível

. Improvisos do momento

. Achas que ninguém sente.....

. Achas que ninguém vê...

. Falha de comunicação

. Até um dia

. A cor do dia em que parti

. Alma nos montes

. Quando os olhos fecho

. Memórias

.arquivos

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO
.subscrever feeds